sábado, junho 25

A capital de Roraima coleciona uma vasta lista de reclamações de quem escolheu a cidade como o lugar para viver e trabalhar. São ruas sem pavimentação e as que estão, possuem diversos buracos. Além disso, falta infraestrutura, limpeza, oportunidades, políticas públicas e principalmente, cuidado e respeito com a população.

Na busca de melhorias e dignidade, os cuidadores de alunos que trabalham nas escolas do município ficaram 51 dias em greve, reivindicando a redução da jornada de trabalho de 40 horas para 30 horas semanais.

Em Boa Vista são 750 cuidadores e metade deles ficaram em greve e só foi paralisada pelos trabalhadores porque o prefeito Arthur Henrique se comprometeu em contratar mais profissionais e reduzir a jornada.

Mas a ‘promessa’ ainda não foi comprida e ainda, a Prefeitura de Boa Vista decidiu descontar os salários dos cuidadores que ficaram em greve. A atitude de Arthur Henrique foi proibida pelo desembargador Mozarildo Cavalcanti do Tribunal de Justiça de Roraima.

Porém, apesar da briga judicial, os cuidados sequer receberam os seus salários, ou seja, estão há mais de 60 dias sem receber. Essa ‘punição’ só aconteceu porque tomaram a decisão de se manifestar contra a Prefeitura.

O Sindicato dos Trabalhadores Municipais (Sitam) resolveram se unir para ajudar os profissionais que estão sem receber. Uma vaquinha foi aberta para ajudar os cuidadores que estão com as contas atrasadas, sem ter dinheiro para comprar alimentação, sem dinheiro até para ir para o próprio trabalho.

Enquanto a população se mobiliza para ajudar a própria população, o prefeito Arthur Henrique cruza os braços e tenta punir quem se ‘rebela’ contra a sua gestão.

Share.